Aleijadinho – Vida e Obra do escultor Aleijadinho

Antônio Francisco da Costa Lisboa, conhecido como Aleijadinho, nasceu em Vila Rica, que hoje se chama Ouro Preto, em Minas Gerais. Não há documentos oficiais que comprovem a data de nascimento de Aleijadinho, porém estima-se que foi em 29 de agosto de 1730.

O trabalho em oficina, com os familiares, serviu para ajudar o menino a começar o seu desenvolvimento como escultor. A experiência profissional foi aperfeiçoada com João Gomes Batista e José Coelho de Noronha, dois portugueses que faziam trabalho de entalhar e desenhar nas igrejas da vila.

A vida e a própria existência de Aleijadinho são um mistério, principalmente pela falta de documentos que comprovem as atividades do artista.

A obra “Traços Biográficos Relativos ao Finado Antônio Francisco Lisboa”, é a primeira biografia de Aleijadinho, e foi escrita em pouco mais de um mês depois do falecimento do artista. A narrativa o revela como boêmio e mulherengo.

Aleijadinho foi acometido por uma enfermidade aos 40 anos de idade. A doença o deixaria horrível, com grandes problemas de manipulação e locomoção. Como também não há comprovação do caso, o diagnóstico interpretado por médicos é de lepra nervosa.

Aleijadinho virou lenda não só por sua qualidade como artista, mas também por que a doença, que o deixara entrevado, não lhe impedira de trabalhar. Muito debilitado e com partes do corpo amputadas, andava de joelhos e praticamente se arrastava para conseguir se movimentar.

Depois de perder os dedos das mãos, diz a lenda que ele martelava com a ferramenta escorada nos punhos. Deformado, faltava-lhe os dentes da boca, que acabou torta, além de problemas na posição dos olhos e do queixo. Seu aspecto era parecido com o de uma criatura monstruosa, que chegava a causar medo nas pessoas.

Devido suas características físicas, evitava aparecer durante o dia publicamente. Deixou para fazer seu trabalho nas madrugadas. Isso ajuda ainda mais a eternizar a hipótese da existência dele, principalmente pelo fato de que ele não era visto pelas pessoas. Quando trabalhava, encobria-se com uma capa.

As obras de Aleijadinho são divididas em duas fases. A primeira é determinada pelo estilo normal, quando ele ainda não estava afetado pela doença. Na segunda, seu estilo é considerado gótico e expressionista.  Portanto, as figuras sociais da época foram deformadas em sua escultura. Entre elas estão os senhores e a população branca.

Principais obras de Aleijadinho

Anjo com o cálice da Paixão, na Via Sacra de Congonhas
Anjo com o cálice da Paixão, na Via Sacra de Congonhas
Igreja de São Francisco de Assis em São João del-Rei
Igreja de São Francisco de Assis em São João del-Rei

As obras consagradas de Aleijadinho estão no Santuário de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo. São 66 esculturas em madeira de cedro e 12 em pedra-sabão, todas no estilo barroco português, sendo brindadas com o estilo gótico do artista.

Outras cidades mineiras também abrigam obras do artista, como Ouro Preto, Congonhas do Campo e Sabará. Estima-se que Aleijadinho tenha morrido em Mariana, Minas Gerais, em 1814.