O que é Anarquismo

O anarquismo, ou a teoria anarquista, foi elaborada em consequência das decepções apresentadas pelo sistema capitalista no século 18. William Godwin orquestrou um modelo social separado ou desvinculado às amarras das leis e dos governos.

Para ele, o efeito de princípios racionais em conjunto com as necessidades e vontades das pessoas gerariam um equilíbrio capaz de prover uma vida social confortável. Ele era defensor do fim da propriedade privada.

No século seguinte, o tema continua na pauta dos pensadores Mikhail Bakunin, Joseph Proudhon, Enrico Malatesta, Leon Tolstoi, Max Stirner e Peter Kropotkin.

Para os anarquistas, toda instituição poderosa vai contra o consentimento de liberdade. Por isso, esses pensadores acreditavam que instituições tradicionais como Igreja e Estado impediam a liberdade das pessoas. Logo, elas deveriam ser eliminadas. Com a extinção das propriedades privadas, também acabariam as classes sociais.

No anarquismo, as ações cooperativistas ocupariam o lugar do Estado. No cooperativismo acabaria o sentido de exploração feito pelo capitalismo, entre patrão e empregado, o que possibilitaria uma vida digna e igualitária a todos. Sem diferenças sociais, não haveria espaço para a violência gerada pela miséria ou falta de acesso a recursos educacionais, por exemplo.

Para derrubar o capitalismo vigente e acabar com o status de Estado seria necessária uma revolução armada, segundo os anarquistas. Nesse sentido o pensamento é igual ao dos socialistas.