Quem foram os Astecas

Os astecas foram um evoluído povo da América pré-colombiana. Essas pessoas eram originárias dos Estados Unidos. Nômades, percorreram várias regiões até se instalar em Tenochtetlán, hoje conhecida como a Cidade do México. Desenvolvidos e inteligentes, conseguiram erguer e estabelecer o Império Asteca.

Montezuma era o imperador asteca que mandava em todas as regiões. Para manter o território imperial em controle, organizou um poderoso exército. O idioma daquele tempo era chamado de nauatle. Esses índios eram parrudos e de pele escura.

O Império Asteca era regido pela monarquia. Todos do seleto grupo de nobres denominado Casa Real poderiam ser escolhidos pelo Conselho Imperial para substituir ou adquirir uma função de comando.

O cargo de Imperador era hereditário e tido como presente de Deus. O imperador deveria zelar pelo seu povo, além de fazer celebrações para agradecer aos Deuses.

O esquema social era interessante e razoavelmente livre, visto que até mesmo os pobres conseguiam patentes militares avançadas. Alguns chegavam ao concorrido posto de Sacerdote.

As classes sociais astecas eram formadas por nobres, soldados, comerciantes e trabalhadores (escravos ou serviçais).

A arquitetura Asteca chamou muito a atenção devido ao grau de desenvolvimento conseguido naquele tempo. Eles levantaram grandes templos, pirâmides repletas de escadas, arcos de pedra e ruas pavimentadas.

A agricultura era baseada no cacau, algodão, fumo e mandioca. Também para essa área desenvolveram tecnologia inovadora. Para irrigar o solo e melhorar a produção, implantaram um sistema feito de aquedutos e canais por onde os barcos passavam.

Os astecas tinham conhecimento astronômico bastante eficiente, suficiente para elaborar um calendário baseado no ano solar de 365 dias.

Na religião, os astecas eram politeístas e faziam culto aos deuses. Nesses rituais para homenagear os deuses, um guerreiro prisioneiro era sacrificado uma vez por ano.

Mesmo utilizando códigos de escrita complicados e incompreensíveis nos dias de hoje, os astecas deixaram livros para a humanidade. Esses materiais estão espalhados por centros culturais do México.