Ah, a bendita crase, quem nunca teve problemas ou duvidas na hora de empregar o uso da crase não e mesmo? Temos vários tipos de contração ou combinação na Língua Portuguesa. Essa contração se da em função de uma preposição com outra palavra.

Observe esse exemplo:

*Aonde (preposição a + adverbio onde)

*Ao (preposição a + artigo o)

na contração, as palavras perdem alguma letra no momento da junção. Observe:

*da (preposição de + artigo a)

*na (preposição em + artigo a)

mas existe um caso de contração que deixa alguma margem para duvidas. Veja o exemplo:

Crase. Junção da preposição ‘’a’’ com o artigo definido ‘’a(s)’’, ou ainda da preposição ‘’a’’ com as iniciais dos pronomes demonstrativos aquela(s), aquela(s), aquilo ou com pronome relativo a qual (as quais) . Graficamente, a fusão das vogais ‘’a’’ e representada por um acento grave, assinalado no sentido contrario ao acento agudo: à.

Mas como saber e deve ou não fazer o uso da crase? Pergunta que não quer calar. Uma dica e substituir a crase por ‘’ao’’ e o substantivo feminino por um substantivo masculino, caso essa preposição seja aceita sem prejuízo de sentido, então com certeza já crase.

Vamos a mais alguns exemplos: Fui à farmácia, substituindo o ‘’à’’ por ‘’ao’’ ficaria Fui ao supermercado. Logo, o uso da crase esta correto.

Assisti à peça que esta em cartaz, substituindo o ‘’à’’ por ‘’ao’’ ficaria Assisti ao jogo de vôlei da seleção brasileira.

Importante dizer: A crase não ocorre: antes de palavras masculinas; antes de verbos, de pronomes pessoais, de nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, de palavra casa quando tem significado do próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões com palavras repetidas (dia a dia).