Dicas e Regras da Gramatica

Aspas

Empregam-se aspas:

  1. No início e no fim de uma citação. Exemplo: “Deus, ó Deus!onde estás que não respondes!”

  2. Nas palavras ou expressões estrangeiras, arcaísmos, neologismos, gírias,etc. Exemplo: Fui ao “show” de Djavan.

  3. Dar ênfase a palavras e expressões. Exemplos: Meu irmão não é “isso” que você pensa.

  4. Ironizar os termos de uma oração. Exemplo: Havia sempre um “porquê” em tudo que dizia.

Dois pontos

Emprega-se dois pontos para:

  1. Anunciar a fala de um personagem. Exemplo: O professor ordenou: -Façam silêncio!

  2. Para anunciar uma enumeração. Exemplo: Os entrevistados do programa serão os seguintes: Roberto, Carla e Rodrigo.

  3. Para anunciar um esclarecimento. Exemplo: escute bem isto: só se vive bem quando se tem paz.

  4. Para anunciar uma citação. Exemplo: O filósofo Descartes disse: Penso, logo existo.

  5. Na invocação das correspondências. Exemplo: Prezado amigo:

  6. Antes de orações apositivas. Exemplo: Nós defendemos uma ideia: que todos devem ter acesso à saúde, educação e à segurança.

Parênteses

Empregam-se parentes para:

  1. Isolar palavras explicativas. Exemplo: A diretora da escola pediu que os alunos conservassem a escola, e todos (menos o Bruno) resolveram ajudar.

  2. Destacar datas. Exemplo: Gregório de Matos (1633-1695) foi a maior expressão do Barroco brasileiro.

  3. Isolar frases intercaladas. Exemplo: O senhor Bartolomeu (que Deus o tenha!) era uma pessoa arrogante e mal-humorada.

  4. Indicações cênicas (em peças de teatro, roteiros de TV,etc). Exemplo: (Entra Paloma desesperada) – Onde, onde está ela?

Ponto e vírgula

Emprega-se para:

  1. Separar orações coordenadas, se uma delas já tiver vírgula. Exemplo: Fazia muito calor naquela manhã; alguns hóspedes,pensava eu,tinham ido à praia.

  2. Separar orações coordenadas de sentido oposto. Exemplo: as crianças viajarão hoje;os adultos amanhã.

  3. Separa itens de uma enumeração,de um regulamento,de um decreto,de uma lei,etc. Exemplo: Art.17 – Fica vedado: I- fumar em local fechado; II- ter animais de médio e grande porte;

Pontos

Ponto Final (.) – Empregado no:

  1. Período simples. Exemplo: A partida de futebol foi emocionante.

  2. No período composto: Exemplo: Não quero que você tenha medo de mim.

  3. Nas abreviaturas.Exemplo: d.C. – depois de Cristo/ Av. – avenida/ pl. – plural.

Ponto de interrogação (?) – Empregado quando se quer marcar as orações interrogativas diretas. Exemplo: Onde estarão as canetas que perdi?

Fique atento(a)!

  1. Não é empregado ponto de interrogação nas perguntas indiretas. Exemplo: Melissa perguntou onde estariam os livros que perdeu.

  2. Em frase de entonação interrogativa e exclamativa, o ponto de interrogação e o de exclamação aparecem lado a lado. Exemplo: O senhor outra vez?! Assim não é possível!

Ponto de exclamação (!) – Empregado em:

  1. Em frases exclamativas. Exemplo: Que dia lindo!

  2. Interjeições e onomatopeias. Exemplo: Puxa!/ Plim-Plim!

  3. Verbo no imperativo. Exemplo: Apague a luz!/ Feche a porta!

  4. Depois de voactivo. Exemplo: Tenha paciência,Maria!

Reticência

Emprega-se reticências para indicar:

  1. Dúvida, hesitação ou surpresa. Exemplo: Eu estava pensando…não sei se invisto dinheiro em imóveis ou ações.

  2. Interrupção de fala do narrador ou da personagem. Exemplo: – Eu te amo,disse Luís em voz baixa. Como Jorge não escutou, Luisa disse de novo: “eu te…”, mas foi interrompida por seus pais.

  3. Supressão de palavras. Exemplo: Cristina parecia impaciente: – Papai,eu quero … o senhor sabe… eu… eu quero aquela boneca.

  4. Ao final de uma frase,que os sentido continua. Exemplo: E a vida continua.

Travessão

Emprega-se o travessão para:

  1. Indicar a mudança do interlocutor no diálogo. Exemplo: -Bom dia, Carlos.Como vai? – Bom dia, Aristides. Eu estou bem.

  2. Isolar a parte final de um enunciado. Exemplo: Todos nós cometemos erros – erros às vezes, injustificáveis.

  3. Isolar palavras ou frases, utilizando-se de travessão duplo. Exemplo: A chula – dança típica do sul do país – é acompanhada a sanfona e violão.

  4. Ligar grupos de palavras que indicam itinerário. Exemplo: A rodovia Presidente Dutra é a estrada que liga Rio – São Paulo.

Uso de vírgula

Empregada para:

a) separar elementos de uma enumeração. Exemplo: Crianças, jovens e velhos manifestavam-se contra a violência.

b) separar o aposto. Exemplo: Rita, aquela moça alegre, possuía uma vida infeliz.

c) esperar o vocativo. Exemplo: O jantar está servido, Senhora!

d) separar o adjunto adverbial antecipado.Exemplo: Logo pela manhã,ouviu-se um terrível estrondo.

Fique atento(a)!

Se o adjunto adverbial viesse no final da frase, não seria necessário o uso da vírgula.

e) isolar o nome do lugar nas datas. Exemplo: Salvador, 10 de dezembro de 2013.

f) Indicar a omissão de um termo. Exemplo: Todos estavam alegres; ele,muito triste.

g) depois do sim e do não,usados como resposta,no início da frase.

Exemplo: – Você vai à escola?

               -Sim,vou.ou –Não,vou ficar em casa.

h) para separar palavras e expressões explicativas ou retificativas. Exemplo: Eles foram à praia ontem, aliás,anteontem.

i) para separar termos deslocados de sua posição normal na frase. Exemplo: De doce, eu gosto.

j) para separar elementos paralelos de um provérbio. Exemplo: Tal pai,tal filho.

No período composto, emprega-se a vírgula para:

  1. Separar orações coordenadas assindéticas. Exemplo: Foi até o quarto,pegou um cobertor,pensou por alguns instantes,deitou na cama.

  2. Separa orações coordenadas sindéticas, exceto as iniciadas pela conjunção e, ou e nem. Exemplo: Fez o que pôde, pois sentia-se culpado pelo incidente.

  3. Isolar as orações subordinadas adjetivas explicativas. Exemplo: O homem,que é um ser inteligente,também é passível de erro.

  4. Separar as orações subordinadas adverbiais, quando vem antepostas à oração principal. Exemplo: Quando as férias chegaram, todos foram para o Mato Grosso.

  5. Para separar orações reduzidas. Exemplo: Terminada a aula, os alunos foram dispensados.

Não emprega-se vírgula entre:

  1. O sujeito e o predicado. Exemplo: Os alunos da escola formaram uma comissão.

  2. O verbo seus complementos. Exemplo: O turista pediu informação ao motorista.

  3. O nome e o complemento nominal. Exemplo: A leitura do jornal é indispensável.

  4. O nome o adjunto adnominal. Exemplo: A claridade da manhã entrava pelas janelas.

  5. A oração principal e a subordinada substantiva, desde que não seja apositiva. Exemplo: Espero que você seja feliz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up