Conheça a História do Ecstasy

O ecstasy é uma droga psicoativa, conhecida como droga do amor. Quimicamente é representada como 3,4-metilenodioximetanfetamina e abreviada por MDMA. Foi produzida por uma indústria farmacêutica em 1914 com o objetivo de ser um supressor do apetite, porém nunca foi utilizado com essa finalidade. Posteriormente foi empregado por psicoterapeutas para elevação do ânimo de pacientes na década de 60; e na década de 70 passou a ser consumido para diversão, disseminando-se na classe de estudantes universitários.

O uso dessa droga é proibido em vários países, inclusive no Brasil. Seu consumo se dá através de injeção intravenosa ou comprimido oral. Seus efeitos duram aproximadamente oito horas, variando de acordo com o organismo do indivíduo. Entre eles estão: aumento do estado de alerta, maior interesse sexual, sensação de bem-estar, grande capacidade física e mental, euforia e aumento da sociabilização e extroversão.

Quais são os efeitos do uso do Ecstasy?

Ocorrem alguns efeitos indesejados após o uso da droga, como aumento da tensão muscular e da atividade motora, aumento da temperatura corporal, enrijecimento e dores na musculatura dos membros inferiores e coluna lombar, dores de cabeça, náuseas, perda do apetite, visão borrada, boca seca, insônia, grande oscilação da pressão arterial, alucinações, agitação, ansiedade, crise de pânico e episódios breves de psicose. Aumentando o estado de alerta pode haver hiperatividade e fuga de idéias. Nos dias posteriores ao uso da droga, o usuário pode ficar deprimido, com dificuldade de concentração, ansioso e fatigado.

O uso a longo prazo causa muitos riscos e prejuízos à saúde. Estudos apontam que usuário dessa droga tem perda da atividade serotoninérgica, que leva seu usuário a apresentar perturbações mentais e comportamentais, como dificuldade de memória, tanto verbal como visual, dificuldade de tomar decisões, ataques de pânico, depressão profunda, paranoias, alucinações, despersonalização, impulsividade, perda do autocontrole e morte súbita por colapso cardiovascular.

O que o Ecstasy causa com o usuário?

Além disso, pode causar lesão no fígado, como aumento de tamanho, com tendência a sangramentos. Dependendo do grau de toxicidade, pode evoluir para hepatite fulminante, causando a morte, caso não haja transplante. O coração também sofre com o uso da droga, ocorrendo a aceleração dos ritmos cardíacos e o aumento da pressão arterial podendo levar à ruptura de alguns vasos sanguíneos, causando sangramentos.

Não existem estudos que comprovem a dependência física por ecstasy, porém não há estudos que indiquem o contrário.