Veja o que é a Droga Maconha e outras utilizações de sua planta

A maconha (Cannabis sativa), é uma planta herbácea de clima quente e úmido, originária da Índia e, pode atingir até 5 metros de altura.

Ela produz flores machos e fêmeas e produz um fruto amarelo-esverdeado, pequeno, que contém uma substância ácida que serve de alimento para algumas espécies de aves. Suas sementes com proteínas e carboidratos são utilizadas na alimentação de pássaros domésticos, e em cereais e granolas. Do óleo das sementes são produzidas tintas, vernizes, sabões e óleo comestível.

Na China, era utilizada como anestésico, analgésico, antidepressivo, antibiótico e sedativo. Os primeiros relatos da maconha no Brasil datam do século XVIII,na fabricação de fibras para embarcações.

O que as substâncias da Maconha causam em seu usuário?

São encontradas mais de 400 substâncias químicas na planta da maconha, sendo 60 classificadas na categoria dos canabinoides, de acordo com o INS (Instituto Nacional de Saúde). O tetra-hidrocarbinol (THC) é um desses canabinoides, que é a substância mais associada aos efeitos que a maconha produz no cérebro. Quando o THC interage com o cérebro, causa sentimentos relaxantes, como sensação de leveza além de alteração em outros sentidos.

Como a Maconha é consumida?

São exemplos de maneira como a maconha pode ser consumida: Marijuana, hashish, charas, ghanja, bhang, kef, orla e dagga ,sendo a mais comum o fumo.

Quais são os efeitos da Maconha?

Após o consumo o indivíduo pode sofrer os efeitos físicos, como: memória prejudicada, confusão entre passado, presente e futuro, sentidos aguçados, mas com pouco equilíbrio e força muscular, perda da coordenação, aumento dos batimentos cardíacos, percepção distorcida, ansiedade, olhos avermelhados por causa da dilatação dos vasos sanguíneos oculares, boca seca e dificuldade com pensamentos e solução de problemas.

Os usuários de maconha, assim como os que fumam tabaco, fazem parte do grupo de risco de pessoas sujeitas a desenvolverem asma, enfisema pulmonar, bronquite e câncer.

Alguns estudos realizados mostraram que um grupo de usuários da maconha, que fazem uso diário, não desenvolvem o vício, enquanto outros podem desenvolver uma síndrome de uso compulsivo parecidos com à dependência de outras drogas.

Ainda não foi determinado a natureza dos sintomas de abstinência da maconha.

A Agência Americana de Combate às Drogas, confirma que o consumo prolongado de maconha pode ocasionar danos aos pulmões e ao sistema reprodutivo.

Atualmente, acredita-se que os efeitos negativos da maconha superam os seus efeitos positivos. Porém, muitos efeitos nocivos da maconha estão sendo concluídos. Algumas pessoas pedem por sua legalização, para fins medicamentosos em tratamentos como câncer e AIDS (combate as náuseas e estimula o apetite), glaucoma (alivia a pressão ocular), epilepsia (evita as convulsões) e esclerose múltipla (diminui espasmos musculares). Mas ainda há grande restrição na liberação, devido a conclusão de estudos. Em alguns estados norte-americanos, já foi legalizada para fins medicinais.