No século 19, o Paraguai contrariou o modelo latino-americano e buscou um esquema político de modernização do país. Entre 1811 e 1862 o Paraguai erradicara o analfabetismo, investira na instalação de fábricas, implantara uma reforma agrária e mudou seu estilo social. Dessa maneira, o Paraguai passou a ser um país com mercado competitivo e sociedade educada.

No ano de 1862, o governo de Solano López queria continuar com a prosperidade. Porém, um dos grandes desafios era escoar a produção via marítima. Para isso, era necessário passar pela Bacia do Prata, terra pertencente ao Uruguai, Brasil e Argentina.

Esse trajeto do Paraguai por terras de outras nações causava desgaste diplomático. Por isso, o atual governante do país queria expandir o território paraguaio para conseguir autonomia para exportar a produção. O Paraguai passou então a produzir armas e preparar soldados para uma futura batalha. Houve também a pressão da Inglaterra sobre o Brasil e Argentina para tirar vantagens da expansão econômica do Paraguai.

A Argentina buscou apoiar um novo governo do Uruguai que queria unificar a Argentina, o Paraguai e Uruguai.

O Brasil estava contra essa posição. Dom Pedro II foi contra essa postura expansionista das nações vizinhas e interveio na política uruguaia.

Houve invasão brasileira no Uruguai. O Paraguai retaliou o Brasil com a apropriação do navio brasileiro Marquês de Olinda. Dessa forma, o Brasil decidiu travar guerra contra o Paraguai.

O Brasil, Argentina e Uruguai formaram a Tríplice aliança com o apoio da Inglaterra. O objetivo era estabelecer uma tropa que conseguisse derrotar a paraguaia. O Paraguai conseguiu vencer algumas batalhas primárias. Mas, como a tropa da Tríplice Aliança era maior, ficou difícil a manutenção da vitória pelos paraguaios.

Como o Paraguai estava razoavelmente preparado, a guerra perdurou por cinco anos. O combate terminou em 1869, quando as tropas paraguaias finalmente se entregaram.

Devido ao conflito, a população jovem do Paraguai foi executada em 80%. Devido ao embargo econômico, a pobreza devastou o Paraguai. A nação brasileira continuou sendo a dona da região das Pratas.

Com o final da guerra, o Brasil conservou suas posses na região do Prata. Mas a dívida do Brasil com a Inglaterra ficou gigantesca. Assim, os ingleses continuaram interferindo na política e na economia brasileira.