Hugo Rafael Chávez nasceu em Sabaneta, na Venezuela, em 1954. Seus estudos básicos foram concluídos na cidade de Barinas. Chávez era louco por basebol, esporte muito popular na Venezuela.

Com 17 anos de idade, Chávez acessa a Academia Militar de seu país e se forma em ciências e artes militares. Chegou até a patente de tenente-coronel.

Hugo Chávez

Ideal Bolivariano

Chávez entra para movimento político e idealista bolivariano, que toma grande influência em sua vida. Seu desejo era de chegar ao poder para construir na Venezuela o novo socialismo do século 21.

Sua primeira atividade foi o fracassado golpe de Estado no dia 4 de fevereiro de 1992, que tentava derrubar o presidente Carlos Andrés Pérez. Por causa da derrota, ficou trancafiado na cadeia por 2 anos. Livre, largou o militarismo para praticar atividade política.

Foi o idealista do Movimento 5ª República, que serviu de base para a vitória eleitoral e presidência da Venezuela em 1998. Seu plano de campanha era erradicar a miséria e acabar com a corrupção.

Em 1999 extinguiu o Congresso e convocou uma Assembleia Nacional Constituinte. Depois do referendo popular foi aprovada uma nova Constituição que transformou a Venezuela em República Bolivariana da Venezuela.

Nova Constituição

A nova Constituição também aumentou os poderes do Executivo, extinguiu o Senado e aumentou o reconhecimento da cultura local.

Nas novas eleições para presidência, em 2000, Chávez saiu vitorioso e foi acusado de usar a máquina para conseguir votos. Sua forma de governo nesse momento passa a ser por decretos, assim conseguia aprovar medidas sem análise da Assembleia Nacional.

Hugo Chávez no poder

Os grandes sonhos e projetos de Chávez eram financiados pelo farto dinheiro do petróleo extraído no país. Para aumentar o controle sobre o setor, em 2002, o presidente nomeou a “Petróleos da Venezuela”, companhia estatal responsável pelo controle do recurso natural, pessoas de sua confiança.

Devido a medidas populares como reforma agrária, diminuição do controle de concessões de TV por grupos privados e desentendimentos políticos, a Venezuela veria grandes movimentos grevistas contra o governo de Chávez.

Em uma dessas manifestações, no dia 11 de abril de 2002, quinze pessoas acabaram mortas e mais de 100 feridas nos confrontos entre grevistas e tropas federais.

Devido ao protesto sangrento, Chávez chegou a anunciar sua demissão e foi para a prisão.

Mas logo depois seus braços fora da cadeia organizaram um golpe para recolocá-lo no Palácio de Miraflores.

Foram muitas batalhas políticas até que um referendo de 15 de agosto de 2004 mostrou que 58,25% apoiavam Chávez até o fim do mandato.

Na terceira eleição para presidência, em 2006, Chávez consegue seu terceiro mandato. A popularidade do governo chavista começou a ficar abalada em 2010 devido a desvalorização da moeda local, planos de racionamento de energia e o cancelamento da transmissão de canais de TV a cabo.

Mesmo assim, ele chegou a enfrentar e ganhar a quarta disputa presidencial em 2012.

Porém, deteriorado por um câncer, Chávez não pôde seque tomar posse e fazer o juramento em 2013, como previa a Constituição. Naquele momento ele passava por uma cirurgia e tratamento da doença em Cuba.

Ele morreu no dia 5 de março de 2013.