Trovadorismo, o que é, qual origem e exemplos de Trovadorismo

Para quem não sabe, trovadorismo foi um movimento literário e se você quer saber mais sobre o que é trovadorismo, continue com a gente e saiba tudo sobre esse tipo de movimento que surgiu na idade média, lá no século XI nas regiões de Portugal.

O que é Trovadorismo?

O Trovadorismo foi um movimento literário e poético que surgiu na Idade Média, foi e é considerado o primeiro movimento do tipo literário na língua portuguesa, pois foi daí que surgiram as primeiras manifestações.

As cantigas são os principais registros do movimento trovadorismo dá época, essas cantigas são divididas em cantigas de amigos, de amor, escárnio e maldizer. A duração do ápice desse movimento do Trovadorismo foi de cerca de 150 anos, que vai do final do século XII até meados do século XIV.

Qual a origem do Trovadorismo?

Existem algumas teses que são admitidas para explicar a real origem do Trovadorismo, são no total 4 teses que explicam toda a história desse movimento, a tese arábica, que considera a cultura arábica como sua velha raiz; a tese folclórica, que a julga criada pelo próprio povo; a tese médio-latinista, segundo a qual essa poesia teria origem na literatura latina produzida durante a Idade Média; e, por fim, a tese litúrgica, que a considera fruto da poesia litúrgico-cristã elaborada na mesma época.

A mais antiga manifestação literária galaico-portuguesa que se pode datar é a cantiga “Ora faz host’o senhor de Navarra”, do trovador português João Soares de Paiva ou João Soares de Pávia, composta provavelmente por volta do ano 1200. Por essa cantiga ser a mais antiga datável, convém datar daí o início da Lírica medieval galego-portuguesa.

Classificações das cantigas no Trovadorismo

Foram identificados 4 tipos de cantigas através das próprias escritas antigas no início do século XI.

Cantigas de amigos

Este tipo de cantiga, que não surgiu em Provença como as outras, teve suas origens na Península Ibérica. Nela, o eu-lírico é uma mulher que canta seu amor pelo amigo muitas vezes em ambiente natural, e muitas vezes também em diálogo com sua mãe ou suas amigas.

Cantigas de amor

Neste tipo de cantiga, originária de Provença, no sul de França, o eu-lírico é masculino e sofredor. Sua amada é chamada de senhor, canta as qualidades de seu amor, a “minha senhor”, a quem ele trata como superior revelando sua condição hierárquica. Ele canta a dor de amar e está sempre acometido da “coita”, palavra frequente nas cantigas de amor que significa “sofrimento por amor”

Cantiga de escárnio

Na cantiga de escárnio, o eu-lírico faz uma sátira a alguma pessoa. Essa sátira era indireta, cheia de duplos sentidos. As cantigas de escárnio definem-se, pois, como sendo aquelas feitas pelos trovadores para dizer mal de alguém, por meio de ambiguidades, trocadilhos e jogos semânticos, em um processo que os trovadores chamavam “equívoco”. O cômico que caracteriza essas cantigas é predominantemente verbal, dependente, portanto, do emprego de recursos retóricos.

Cantiga de maldizer

Ao contrário da cantiga de escárnio, a cantiga de maldizer traz uma sátira direta e sem duplos sentidos. É comum a agressão verbal à pessoa satirizada, e muitas vezes, são utilizados até palavras de baixo calão. O nome da pessoa satirizada pode ou não ser revelado.